Monólogo sobre a saudade

img_20160403_193507.jpg

Giardini Margherita – Bologna (3 de abril de 2016). Lucas Lopes

 

– o que sei eu da verdade?
eu apenas vivo.
sobrevivo.

sim, sobrevivo.

ah! aquele domingo de sol
aquele calor
a felicidade.

sim, a felicidade.
porque outrora estive triste
sozinho.

sim, sozinho
de um jeito intocável, sensível.
mas camuflado.

hoje não,
definitivamente
vivo os tempos mais belos.
o quanto é bela a primavera

o quanto é bela a amizade.

sim, a amizade.
as amizades
as companhias
os sorrisos
os olhares ternos.

mas eu falava do domingo de sol
da tarde quente
da grama verdinha
da calmaria.

ah! que calmaria.
que bons sentimentos tenho tido
ainda que cheio de dúvidas e anseios
que bons sentimentos.

ainda que cheio de dúvidas e anseios
ainda que surpreso
ainda que cheio de medo.

sim, o medo.
um dia isso acaba.
não, não a amizade, mas o estar aqui.
acaba a proximidade das companhias aqui conquistadas.

sim, me faltam os amigos de minha terra
me falta a família
me faltam os hábitos típicos de um nato fortalezense.

mas aqui, quem diria, aqui encontrei pessoas incríveis
deixei amigos, deixei família, deixei amores
e cruzei o Atlântico
e aqui encontrei pessoas incríveis.

como é injusta a tua existência, Atlântico!

e aqui, quem diria, o tempo passou rápido
tão rápido
que já não sei dizer o que sinto
se lamento por, em pouco, ir embora
se feliz por aqui estar, com eles estar, por aqui viver.

por que és tão rápido, tempo?

ah! mas eu falava do calor do domingo
da grama quentinha
e o coração aquecido.
o coração aquecido
envolto num calor.
e acelera.

sim, acelera.
se antecipa.
sempre chega antes da hora onde não deveria
e já sente saudades de algo que ainda está vivendo.
teimoso.

teimoso.
olha só que confusão ele me forçou a expor.
ah! eu só rio, sorrio, sorrio.

Sorrio.

é como sentisse cócegas no meu cérebro
uma massagem na alma
um abraço de amigo.
Sorrio.

o quanto me farão falta
não podem imaginar o quanto
não podem sequer ler este aqui.

mas afinal, o que sei eu da verdade?
o que é de verdade?
a felicidade
a primavera
o afeto
a saudade.

um abraço
um sorriso.
confio
e apenas vivo.

Ah! mas eu falava da felicidade…


Lucas Lopes. 04 de abril de 2016.

Traduzione in italiano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s