luto por mim mesmo

Paulo Leminski


    a luz se põe
em cada átomo do universo
    noite absoluta
desse mal a gente adoece
    como se cada átomo doesse
como se fosse esta a última luta

    o estilo desta dor
é clássico
    dói nos lugares certos
sem deixar rastos
    dói longe   dói perto
sem deixar restos
    dói nos himalaias, nos interstícios
e nos países baixos

    uma dor que goza
como se doer fosse poesia
    já que tudo mais é prosa

Anúncios

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s